Felipe Andrade | Pepsi. Troca de Memórias / UEFA.
404
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-404,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode_popup_menu_push_text_top,overlapping_content,hide_top_bar_on_mobile_header,transparent_content,qode-theme-ver-16.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

A Champions League (ou Liga dos Campeões da Europa) é o maior torneio de futebol entre clubes do mundo. E logo abaixo da Copa do Mundo (ou empatado, para muitos), estar no estádio da final é a maior experiência possível nesse sentido. Aproveitando a conexão de sua marca com o torneio, a Pepsi confrontou os dois lados: convidou pessoas comuns que tinham uma ligação afetiva poderosa com um ingresso de futebol, e sugeriu uma injusta troca, por um da final da Champions 2017, que rola neste sábado (3) entre Juventus (Itália) x Real Madrid (Espanha).

Nossa intenção era, de fato, saber quem não abria mão de algo que significa muito. A oferta era tentadora para qualquer um. É totalmente compreensível ver o lado de quem aceitou a oferta. Mas é lindo, para quem realmente ama o futebol, ver o lado e os motivos de quem declinou, assim como a postura da marca nos dois casos para transformar isso em publicidade de uma forma agradável para esse público – o que é extremamente delicado.

A ideia reforça o conceito da campanha global de Pepsi para o patrocínio da UEFA Champions League, “We know how much it means”.